terça-feira, 19 de outubro de 2010

Memórias capixabas: Copa dos campeões estaduais de 1937- Alcy Simões e Lacínio: O Ataque ping-pong

Foi na longínqua década de 1930. O Brasil ainda não era o país do futebol, mas o esporte trazido por Charles Miller no final do século 19 já havia conquistado milhares de brasileiros e os times que mais tarde seriam grandes campeões estaduais, como Fluminense e Atlético Mineiro, buscavam o seu lugar. Em solo capixaba, o Rio Branco já era o clube mais popular do estado e estava na campanha do hexa Campeonato Estadual.

A Copa dos Campeões Estaduais de 1937 foi o primeiro torneio disputado entre equipes de vários estados, sendo na época considerada um “Campeonato Brasileiro”. Participaram daquele campeonato os campeões estaduais; Atlético-MG, campeão mineiro; Fluminense, campeão carioca; Portuguesa de Desportos, campeão paulista; Alliança, campeão fluminense (lembrando que o Fluminense foi o Campeão do Estado da Guanabara); o campeão da Liga de Sports da Marinha e o Rio Branco, campeão capixaba.

O palco dos jogos da equipe Capa-preta era o recém-inaugurado Estádio Governador Bley (atual IFES), na época, terceiro maior estádio do Brasil. Foi lá que o Rio Branco fez sua estréia na competição nacional. Vitória sobre o time dos marinheiros: 2 a 0, com dois gols do atacante Caxambu! No jogo seguinte, 3 a 2 em cima da Portuguesa de Desportos – Caxambu, Lacínio e Pereira, marcaram para o Brancão –. Na terceira partida, empate em 1 a 1 com o Atlético Mineiro. O jogo seguinte foi contra o aclamado Fluminense. O Tricolor carioca veio até o Espírito Santo e foi apresentado ao ataque que ficou conhecido na época como “ping-pong”, pois o quarteto capixaba formado por Marciolínio, Alcy Simões, Lacínio e Renato, “tocava a bola sem dar espaço e só parava no gol”, como alegaram os jogadores do time das Laranjeiras. E foi assim, tocando a bola sem dar espaço, que o Rio Branco fez 4 a 3 no Fluminense. Os três jogos fora de casa não foram bons para o Capa-preta. Nas Laranjeiras, o Fluminense devolveu a derrota: 5 a 2 e a Portuguesa fez 4. No último jogo, vitória do campeão Atlético Mineiro por 5 a 1. Naquela que foi a primeira competição nacional oficial no Brasil, o Rio Branco ficou em terceiro lugar.


Lacínio e Alcy Simões
Alcy Simões, Lacínio de Lima Soares e Rio Branco. O que os três têm em comum? Nasceram em 1913 e juntos ajudaram a construir a história do futebol no Espírito Santo.

Alcy Simões é para muitos o maior jogador de futebol de todos os tempos do Espírito Santo. Nascido em Vitória, o Demônio Loiro, como era conhecido, começou a jogar em 1930, mesma época que o meia cachoeirense Lacínio. Alcy Simões e Lacínio marcaram época no Rio Branco, fizeram parte de uma geração que acompanhou a transição do futebol amador para o profissional no Brasil. Juntos formavam ao lado de Cícero Nonato, Marciolínio e Renato, o “ataque ping-pong”, que no campeonato capixaba de 1936 marcou 57 gols em 11 partidas!

Em 1937 viriam a ficar conhecidos nacionalmente e desejados por equipes de fora. Os dois fizeram sucesso na Copa dos Campeões Estaduais e nos jogos do Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais, onde defendiam a seleção do Espírito Santo. Alcy foi assediado pelo Flamengo – que pretendia formar o “melhor ataque do Brasil” juntando Leônidas, Gonzales e Alcy –, Botafogo e Portuguesa de Desportos também despertaram interesse no “Russo”. Tanto assedio não foi capaz de seduzir o atacante que disse “não” a todos e permaneceu no seu amado Rio Branco. Lacínio, por outro lado, aceitou o convite do América-RJ e deixou o clube em 1938. Dois anos depois, desencantou-se com o “profissionalismo” e largou o futebol aos 27 anos. Alcy Simões abandonou as chuteiras em 1947, mas não abandonou seu time de coração. Nos anos que se seguiram, sempre acompanhou o Capa-preta, na diretoria e nas arquibancadas. Até o fim dos anos 80, com mais de 70 anos de idade, era figura presente nas arquibancadas do Kleber Andrade.

9 comentários:

  1. Futebol Capixaba deveria ser mas mostrado para o Brasil...
    principalmente pro ES...
    todos jogo deveriam se passados ao vivo.

    ResponderExcluir
  2. Pois é Lileu, você disse tudo: "Principalmente pro ES", é disso que precisamos!
    Chega a ser bizarro a TV Gazeta comprar o direito de transmissão e transmitir as finais e olhe lá!
    Exemplo tem a Tv Vitória, transmitindo a Copa ES.

    ResponderExcluir
  3. caramba...
    chorei lendo isso!
    sensacional!!!

    ResponderExcluir
  4. Muito bom Rio branco é Rio branco !!!! e sempre será ele é imortal.

    ResponderExcluir
  5. Quando o capixaba descobrir sua história (Cultura, História dos Clubes, História de colonização etc), seremos uma potência neste país!

    ResponderExcluir
  6. Clube Atlético Mineiro, Galo Forte Vingador, mais uma vez e em alto e bom som: O PRIMEIRO CAMPEÃO DESTE NOSSO BRASIL ! ! !

    ResponderExcluir
  7. SERRA O MAIOR DO ES!!!

    ResponderExcluir
  8. convocando a tocida do serra!! votem ai

    http://globoesporte.globo.com/platb/ilanhouse/2011/12/19/qual-o-tamanho-das-torcidas-na-rede/

    ResponderExcluir